sexta-feira, 20 de março de 2009

A cortesia é um modo de evitar o caos.


(imagem do orange your lucky)
Danuza Leão – revista Claudia, janeiro de 2009

É tão fácil ser gentil; só que para alguns a gentileza é dirigida. Eles são gentis com o gerente do banco, com o chefe, com a amiga rica – com pessoas, de alguma maneira, importantes.

Isso não tem nada a ver com a verdadeira gentileza. Esta, quando verdadeira, é exercida naturalmente com o motorista de táxi, a vendedora, a empregada domestica. Um “obrigada” dito com um sorriso não custa muito, custa? E a vida fica melhor para quem diz e para quem ouve.

Você tem sido gentil ultimamente? Responda rápido: quando acha aquela vaga para o carro, faz uma manobra e entra de frente, bem depressa, vendo que outra pessoa estava manobrando para entrar de ré? Fura fila para pegar o autografo do autor no dia do lançamento do livro? Cede o lugar no ônibus para uma mulher grávida ou fica lendo uma revista fingindo que nem viu aquela barriga enorme? Se respondeu sim às três perguntas, está precisando entrar na onda da gentileza.

Este é o momento de conviver mais gentilmente com nosso semelhante. Um sorriso, segurar a porta para o outro passar significam a mesma coisa, aqui ou em qualquer lugar do mundo. Se tratada com gentileza, a pessoa, por um instante que seja, se sente especial, e isso não a faz se sentir tão só.

A verdadeira cortesia é pensar no outro, antes de pensar em si mesmo. Se duas pessoas querem passar por uma porta estreita, uma vai ter de dar o lugar à outra. Isso é cortesia? Se estendo a mão com um sorriso, o outro também estende a sua e retribui o sorriso. As pessoas se imitam. Se eu te trato mal, você também me trata mal. Continuamos a nos imitar. O uso da cortesia é uma maneira de evitar o caos. O mundo está cada vez mais povoado e, quanto mais gente existir, mais precisamos que as pessoas sejam gentis umas com as outras.

3 comentários:

  1. A Danusa tem sempre bons textos, como esse!

    ResponderExcluir
  2. Essa de manobrar para entrar em uma vaga me lembrou uma coisa, heinnnnn!!!

    ResponderExcluir